Pará privatiza mais de 520 km de vias que ligam Marabá até Marituba

Por Portal Pebao

 Pará privatiza mais de 520 km de vias que ligam Marabá até Marituba

Na última quarta-feira (15), o estado do Pará realizou o leilão de 526 km de rodovias estaduais que ligam a cidade de Marabá, na região sudeste do estado, até Marituba, na Região Metropolitana de Belém. Essa malha rodoviária é fundamental para o escoamento de diversos tipos de produtos, como grãos, pecuária, minério, papel e celulose. 

O Consórcio Conquista do Pará foi o único concorrente e arrematou a concessão pública por R$ 450 milhões, entre outorga fixa e variável. Com a privatização, será permitida a cobrança de pedágio para o uso das vias, com previsão de que a taxa comece a ser cobrada a partir do 13º mês de contrato.

Esse foi o primeiro leilão de rodovias estaduais na história do Pará, e o Consórcio Conquista do Pará terá a administração das estradas por 30 anos, com o contrato prevendo investimentos de R$ 3,7 bilhões na malha viária privatizada. A Bolsa de Valores de São Paulo foi o local escolhido para realizar o pregão, que contou com a presença do governador do Pará, Helder Barbalho, e da vice-governadora, Hana Ghassan.

A concessão inclui os seguintes trechos: PA 150, Trecho: Morada Nova – Goianésia do Pará – Entr. PA 475/256 com extensão de 333,00 km; PA 475, Trecho: Entr. PA 150/256 – Entr. PA 252 com extensão de 41,60 km; PA 252, Trecho: Entr. PA 475 – Entr. PA 151/252 com extensão de 42,30 km; PA 151, Trecho Entr. PA 252 – Entr. PA 483/Alça Viária com extensão de 21,50 km; PA 483, Trecho: Acesso Área Portuária Vila do Conde (Barcarena) – Entr. PA 151/ Alça Viária com extensão de 18,60 km; Alça Viária Sul de Belém, Entr. AP 151/483; Entrada BR 316/010, com extensão de 69,40 km.

A concessão de uso das vias será de trinta anos e espera investimentos em melhorias, como a duplicação de 66 milhas, a criação de 250 milhas de novos acostamentos, 30 milhas de terceiras vias, além dos serviços de manutenção, preservação e conservação. O governo estadual definirá o valor a ser cobrado pelo pedágio, a periodicidade do reajuste do valor e as condições para a atualização da tarifa. A cobrança de pedágio será obrigatória após o cumprimento das melhorias previstas, e o projeto deverá gerar receita extra de impostos no valor de R$ 252 milhões, além da geração de três mil empregos diretos e indiretos. Segundo o governador Helder Barbalho, a privatização também permitirá ao estado economizar R$ 90 milhões espontaneamente na manutenção da rodovia.

Portal Pebão com informações G1

Notícias Relacionadas

Deixar um comentário

© 2023 Todos os Direitos Reservados | Política de Privacidade Criado Por Portal Pebão